Pular para o conteúdo principal

Solitude


Parado olhando para o lago na Redenção. Vejo apenas dois pedalinhos com apenas uma pessoa. Em volta ao lago, não há ninguém sozinho, exceto eu, enquanto um blues toca ao fundo. Sozinho é na verdade uma palavra forte. Ainda que não por merecimento ou escolha inicial partindo de mim, nunca estive sozinho. Ele sempre esteve junto. Se eu estou sozinho, é porque Ele quis tirar todas as coisas da minha volta, para que eu visse apenas Ele. Aqui e agora. 

Quieto em silêncio, vejo que Ele é criativo e detalhista. O ato de ver Suas obras como as vejo agora é apenas um presente e demonstração de Sua graça. A natureza costuma mostrar ter detalhes sobre certas coisas que demonstram que não é apenas uma criação divina, mas Sua obra de arte.

Isso me leva então a uma conclusão de que os detalhes individuais e pessoais dos seres humanos são também, ainda que corrompidos pelo pecado, detalhes de uma obra de arte que foi cuidadosamente planejada. Detalhes que expressam um pedacinho da personalidade do criador. Talvez observar este tipo de detalhe, seja ainda mais deslumbrante que observar uma bela paisagem. Ao trazer meu sentimental a tona, vejo que a presença daquela pela qual estou apaixonado muito antes de saber seu nome tornaria até as cores mais vívidas, ainda que já sejam suficientemente assim. Semelhante para algum amigo próximo, minhas irmãs ou meus pais. Se os meus sentimentos mudam a forma como meus olhos vêem a natureza, parte da criação dEle, então eles também afetam como eu vejo as pessoas. 

Tendenciosamente, meu coração leva para a área sentimental mais destacada. Se eu conseguir, pela Graça, manter o entendimento em memória que cada dia que eu olhar para ela eu estarei olhando para uma pequena e detalhada obra de arte dEle, onde cada pequeno traço, mesmo que corrompido pelo pecado, mas restaurado pela Graça, reflete uma pequena parte da criativa personalidade do criador, eu serei incansável em observá-la. 

Que, então, eu, ainda sozinho, passe a contemplar a obra do maior artista da história, para que, em minha história, a Graça abunde até que seja vista de longe, por aqueles que ainda estão na escuridão. Escuridão que antes eu andava nela, mas O artista me trouxe à luz pela beneplácita obra de Sua vontade e sua infindável Graça, não por merecimento nenhum, nem mesmo por minha capacidade de escolha.

A Ele seja toda a honra, toda a glória e todo o louvor que parte desta simples observação de tão grande obra.

Soli Deo gloria.

Comentários