Pular para o conteúdo principal

De volta pra casa


Se realmente acreditamos não sermos tolos ao falar sobre o nome ao qual pronunciamos, então deveríamos considerar mais que o que há muito tempo foi dito que aconteceria está para acontecer. Ele vem. A todos os que esperam e que não esperam.

O esfriamento do amor que afeta todos nós. Nossas falhas e injustiças roubam nossa ânimo de seguir em diante. Perseverar até o fim não parece ter sentido, pois não parece existir um fim. Indignados e tristes ficamos ao passarmos em frente de lugares com fotos de "pastores" como faxada utilizando a bíblia para pregar algo que não é verdade. Centenas de falsos mestres em cada cidade. Enquanto aquelas pessoas que ainda não encontraram o caminho estão atordoados e confusos diante de tantas regras e pregações com apelos emocionais enormes.
Não podemos controlar as ações dos outros. As ações daqueles que distorcem o nome que pronunciamos. Mas felizmente, nossa esperança está em Sua volta. Ele mesmo anunciou estas situações anunciariam a proximidade da volta dele.
Com dificuldade caminhamos. Mal podemos manter nossos olhos abertos e focados na missão que nos foi dada, mesmo que, cada vez que a executamos, somos inigualavelmente abençoados. Sem merecer nada. Vemos nossos olhos e mãos impuros executando trabalhos para aquele que é Santo e ainda sim somos recompensados por executá-lo, sendo que a execução em si já seria uma recompensa suficiente para seres insignificantes para nós. Mesmo com tudo isso, somos constantemente tentados pelo desânimo e desesperança.

Nesse tempo muitos serão escandalizados, e trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se odiarào.E surgirão muitos falsos profetas, e enganarão a muitos.E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor de muitos esfriará.Mas aquele que perseverar até ao fim, esse será salvo.E este evangelho do reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim.Mateus 24:10-14

Esperançosamente caminhamos. Vivendo como estrangeiros neste mundo até que finalmente possamos voltar para casa, tirar os sapatos, abraçar o Pai e jantar com a família. Pai que por sinal, é o Rei. O Rei que escolhemos desobedecer e manter longe de nós, mesmo sabendo que tudo era baseado na vontade dele. Escolhemos ignorar isso; mentir para nós mesmos que estávamos no controle. Que eramos o nosso próprio deus. O Rei, ao ver isso, decidiu nos amar ao invés de nos destruir completamente. Abalou toda a criação ao nos dar a salvação e comprar nossa passagem de volta pra casa. A casa do Rei.
Encerro com o trecho de uma música da banda Resgate:

Eu olho para os céu já são tantos os sinais
Não sei se pros meus dias ou pros meus filhos
Pra todos os efeitos
Eu vivo preparado e em paz
Eu to esperando a Tua volta
Pra todos os efeitos - Resgate.

Comentários