Pular para o conteúdo principal

Grito

A quem escrevo?
Coração acelerado, garganta apertada.
O que tentas gritar, alma minha?
Se, no grito, procuro alegria, alegria encontro.
Se, no grito, procuro raiva, lá ela também está.
Se, no grito, procuro culpa, lá ela também está.
Afinal, o que tentas gritar, alma minha?

Seria um grito de socorro?
Uma tentativa de fuga dessa tempestade de lógica relacional concatenada com este meu novo padrão emocional?
Felizmente Aquele que É é, também, abrigo.

Comentários