Pular para o conteúdo principal

Seu lugar não é aqui

Toda a manhã acorda muito cedo... o sono é pouco, a vontade de aproveitar a vida é muita...
O tempo tem passado rápido demais, mas isso não impede a vontade de viver, cada dia é um presente... sem pressa.
Sai da cama com dificuldade, as pernas já são pesadas... as costas doloridas... os olhos não dão segurança do caminho e até o próprio quarto acaba cheio de obstáculos.
Mas vai em frente, o dia reserva muitas coisas pra fazer, muitas coisas pra ver, sentir... até a saudade é algo que tem que viver com alegria... afinal cada dia é realmente um presente!
Sai do quarto, vai para a sala, mas dentro de casa por muitas vezes é ignorado, pois é lento e seus assuntos cheios de experiência não fazem parte do mundo da família.
Assim, um passeio é a melhor escolha! Encontrar velhos amigos na praça, ver crianças brincando, olhar o que é bom e sentir-se parte de alguma coisa...
Vai indo pela calçada, fala “um bom dia!” Mas nem todos respondem... estão com pressa. Em passos lentos, mãos entrelaçadas nas costas, continua cumprimentando as pessoas e retribuindo aos poucos sorrisos.
Lembra da correria da vida... mas agora já não tem mais pressa...
Volta pra casa, é recebido com alegria pelo cachorro, mas a família quase não percebe que já está de volta...
pega uma cadeira e coloca na sombra da árvore que tem no quintal... senta, coloca o óculos e vai ler aquele livro que fala da vida em poesias...
Pela janela o filho vê o velho pai e faz um comentário a respeito com a esposa:
“Agora você percebe porque eu digo que o lugar dele não é aqui?”
E você que está lendo, concorda com isso?
Na verdade, estão fora do lugar todas as pessoas que ainda não aprenderam a dar valor à vida, como fazem as pessoas que tem mais de 60 anos... eles são vencedores!
Olhe para eles, escute-os, sorria e tente aprender como que se vive melhor... eles podem ensinar muito.

Cláudia Bairros.

Comentários